Demonstrações Gerenciais – Centro de Custos

Por Marco Antonio Granado

A principal razão das empresas existirem é a obtenção de lucros, desta forma, continuamente paira uma grande tensão em razão da necessidade em atingir resultados positivos.

Realizar uma gestão eficiente nas empresas é uma tarefa extremamente árdua, exigindo amplos conhecimentos em diversas áreas empresariais.

A carência destes conhecimentos quanto aos assuntos empresarias, geram aos seus gestores inúmeras inseguranças, e consequentemente com este hiato de conhecimento, implementam ações e soluções incorretas, com falhas e/ou de forma paliativa para os diversos obstáculos encontrados, maculando decisões e direcionamentos vitais e relevantes para o sucesso das empresas.

Portanto, aos gestores somente restam o caminho do conhecimento, aprimorando sua visão empresarial, gerando às empresas o crescimento planejado e necessário à sua existência, estudando, conhecendo e utilizando ferramentas avançadas de gestão empresarial, existentes no mercado.

Ao vislumbrar a existência do grande universo destas ferramentas de gestão empresarial, vamos nos limitar hoje, na importância da implantação o “centro de custo”.

O “centro de custo” é a forma de enxergar a empresa desmembrada por seus setores operacionais, de forma independente entre eles, mas cada um deles possuem seu quinhão de responsabilidade operacional para o sucesso da empresa, sendo assim, não podemos esquecer que somente com a união de todos os setores podemos enxergar a integralidade operacional da empresa.

A estruturação do “centro de custo” por setores, pode trazer uma série de benefícios para a gestão financeira de sua empresa, possibilitando um fácil levantamento a respeito das necessidades orçamentárias para viabilizar as atividades da empresa, facilitando a analise do impacto causado por cada um destes setores no orçamento e na operação da empresa.

O primeiro passo é a identificação e nominação de cada um do “centro de custo”, este exercício deverá conter a concepção dos principais gestores da empresa, afim de contemplar corretamente os setores existentes, de maneira a não serem esquecidos nenhuma das estruturas operacionais existentes, exemplo: centro de custo 1: financeiro; centro de custo 2: administrativo, e assim por adiante, até nominarem todos os setores da empresa.

Cada um deste “centro de custo” existente, será alimentado via sistema de processamento de dados, por intermédio de lançamentos contábeis gerenciais, em conformidade com as operações realizadas mensalmente na empresa, auferindo todos os seus gastos realizados, por tipo de gastos, ou seja, será lançado contabilmente todos os gasto realizados, seja ele, pago ou provisionado a pagar na conta contábil, como também no centro de custo de sua fonte de gasto, contendo seu histórico, data e valor da ocorrência, exemplo: compra em dez/20×1 de material elétrico para ser utilizado no setor financeiro no valor de R$ 400,00, este gasto deverá estar lançado contabilmente na despesa de material elétrico, bem como, no centro de custo1: financeiro.

Importante ressaltar que em alguns gastos poderão ocorrer um rateio, ou seja, quando se tratar de um gasto que abrange mais de um “centro de custo”, deverá ser lançado proporcionalmente a cada um “centro de custo” pertinente a sua fonte de gasto, exemplo: o aluguel, deverá ser rateado seu valor total, proporcionalmente a área (m2) utilizada individualmente por “centro de custo”, exemplo: o valor do aluguel mensal é R$ 10.000,00 por um imóvel de 200 m2, e o setor financeiro ocupa o espaço físico de 10 m2, deverá ser rateado para o “cento de custo” financeiro o valor de R$ 500,00, e o restante proporcionalmente a ocupação em m2 dos outros “centro de custo”.

Desta forma mensalmente, ou em qualquer período apurado, ou mesmo definido pelo gestor(es) serão gerados pela contabilidade, relatórios por “centro de custo” que informará a descrição por tipo de gasto, bem como, os valores detalhados por dia, e seus acumuladores por totais, nestes relatórios gerencias encontramos todos os gastos realizados pela empresa, segregados por “centro de custos” existentes e definidos pelos gestores, que poderão ser flexíveis, ou seja, implementados novos e/ou extinguidos aqueles que não se observam importância nem relevância para sua operação e controle, conforme visão do gestor(es).

O controle e informação por “centro de custo” é fundamental à todos importante para todos os tipos de negócios, independente serem: pequenos, médios ou grandes.

Portanto, saber exatamente quais são os gastos da empresa por “centro de custo” traz enormes benefícios à sua gestão, e para seus resultados a serem alcançados.

Utilizando a gestão por “centro de custo”, é possível compreender melhor como todas as atividades são realizadas e, consequentemente, tomar decisões mais assertivas e eficientes.

 

Marco Antonio Granado, empresário contábil, contador, palestrante e escritor de artigos empresariais. Atua como consultor empresarial nas áreas contábil, tributária, trabalhista e de gestão empresarial. Atua como docente na UNISESCON e no SINDCONT-SP. Atua como consultor contábil, tributário, trabalhista e previdenciário do SINFAC-SP e da ABRAFESC. É membro da 5ª Seção Regional do IBRACON. É bacharel em contabilidade e direito, com pós-graduação em direito tributário e processo tributário, mestre em contabilidade, controladoria e finanças.

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart