Entenda, fiscalize: cuide das suas informações contábeis

Publicado em 09/04/2024

Por Marco Antonio Granado 

Tenho realizado inúmeros trabalhos de consultoria em negócios de diversos ramos de atividade, com muita ênfase nos segmentos de empresa simples de crédito, fomento mercantil e securitizadora. Após estes trabalhos de apuração, verificação, ajustes e de regularizações no âmbito contábil, tributário e financeiro, acabo, consequentemente, impactando de maneira positiva, renovadora e, — por que não dizer? — revigoradora, no fluxo de caixa, na margem de lucratividade, na movimentação do estoque e na apuração de custos desses clientes. Enfim, inovando e melhorando todas as ferramentas possíveis e cabíveis de controles, para que se possa administrar e gerenciar uma empresa, de forma a ter todos os controles necessários para uma conduta segura, tranquila, dentro das regras de nossa legislação tributária e, com a certeza, da obtenção do resultado positivo, ou seja, o lucro tão esperado.

Nestes trabalhos, ao me deparar e confrontar dados dos balanços ou dos balancetes, das razões contábeis e das demonstrações de resultados auferidas, com os relatórios de conciliações contábeis realizadas, com os documentos financeiros, suporte para os lançamentos contábeis, com as notas fiscais emitidas para os clientes e as recebidas dos fornecedores, com os contratos de leasing, seguros, dentre outros, verifico claramente e, com uma certa frequência, divergências entre os mesmos. Talvez por inabilidade do profissional que executa o trabalho de classificação ou mesmo por desconhecimento da forma correta em fazê-lo, mas o que me chama a atenção é como grande parte destas operações realizadas pelas empresas são registradas de maneira diversa, ou distinta de sua forma.

Contudo, claro que me deparo também com bons trabalhos, com balanços que demonstram exatamente o que ocorreu nas operações das empresas, mas, infelizmente, é uma minoria, ou seja, cada vez mais tenho certeza do que vou dizer agora: estão faltando, e muito, em nosso mercado, bons profissionais da área contábil. Isto é muito problemático e preocupante.

Precisamos estar sempre alertas para identificar a capacidade técnica do profissional de contabilidade que nos assiste, que nos orienta, que ensina o rumo a ser seguido em nosso tão difícil dia a dia.

Procurem estar sempre mais próximos de suas informações contábeis e financeiras, além de acompanhar os relatórios, balanços e balancetes emitidos, periodicamente, a fim de distinguir se há distorções ou mesmo ajustes necessários a serem realizados tanto internamente, na empresa, como no profissional que lhe assiste.

Saibam que o ônus e o incômodo de uma fiscalização e, consequentemente, de um auto de infração é de única e exclusiva responsabilidade dos sócios da empresa, portanto, quem contrata ou emprega um profissional da área contábil que não tem conhecimentos ou capacidade técnica para exercer esta função, para lhe orientar e assessorar, corre, sem dúvida, grandes riscos em transitar por ruas escuras e mal sinalizadas.

Fiscalizar, acompanhar e sempre estar atento para esta área tão importante de sua empresa não é mais um capricho e, sim, uma grande necessidade para um empresário de sucesso e para uma empresa que deseja crescer e expandir seus negócios.

E assim fica o conselho: fiscalize sempre suas informações contábeis e financeiras.

 

Marco Antonio Granado, empresário contábil, contador, palestrante e escritor de artigos empresariais. Atua como consultor empresarial nas áreas contábil, tributária, trabalhista e de gestão empresarial. Atua como docente na UNISESCON e no SINDCONT-SP. Atua como consultor contábil, tributário, trabalhista e previdenciário do SINFAC-SP e da ABRAFESC. É membro da 5ª Seção Regional do IBRACON. É bacharel em contabilidade e direito, com pós-graduação em direito tributário e processo tributário, mestre em contabilidade, controladoria e finanças.

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart