Fluxo de caixa – Parte final

Publicado em 27/02/2024

Por Marco Antonio Granado

Entramos na parte final do tema fluxo de caixa.

Planejando seu fluxo de caixa:

Controlar o fluxo de caixa não é tão simples assim. O fluxo de caixa é um dos demonstrativos mais importantes do dia a dia de trabalho de qualquer gestor financeiro. Além de fornecer informações essenciais sobre a saúde financeira da empresa, ele também possibilita uma série de análises que podem ajudar na tomada de diversas decisões importantes.

Agora, se engana quem acha que simplesmente controlar as entradas e saídas é suficiente para ter boas análises e controlar o financeiro sem problemas. Para chegar nesse nível existe uma série de providências e informações sobre fluxo de caixa que podem ajudar os gestores financeiros a tirar o melhor dessa ferramenta. Vamos ver cada uma delas agora:

Use a tecnologia ao seu favor

Apesar do fluxo de caixa ser essencial, ainda existem muitas empresas que não tem qualquer tipo de controle financeiro. Se esse é o seu caso, repense rapidamente, porque não saber o que está acontecendo com as suas finanças pode te levar a tomar decisões bastante ruins no futuro próximo.

Uma das melhores formas de controlar seu financeiro com relativamente pouco trabalho é utilizando planilhas ou sistemas profissionais, que facilitam muito a vida de diversos gestores. O único trabalho é o de preencher os lançamentos de entradas e saídas da planilha. Fora isso você só precisará fazer análises dos resultados obtidos automaticamente.

Categorize suas informações financeiras

Se você já tem uma ferramenta que auxilie no controle financeiro, precisa pensar em quais informações são importantes para a sua empresa controlar. Nesse sentido, categorizar informações vai te levar mais perto de boas análises.

Particularmente, acredito que existam 3 itens essenciais para uma boa organização:

-Plano de contas: permite análises de quais grupos de receitas ou despesas são mais relevantes;

-Formas de pagamento: te mostra se algum meio de pagamento é mais importante;

-Centros de custo: facilita o acompanhamento de áreas da empresa que possuem receitas e despesas.

Se, ao fazer os lançamentos de entradas e saídas, você também registrar os grupos no plano de contas, conseguirá fazer análises mais aprofundadas.

Acompanhe suas entradas e saídas periodicamente

Faça um acompanhamento diário, tente entender quais são os dias melhores ou piores (em termos de resultados) para que as boas práticas sejam recorrentes e o que estiver errado seja corrigido rapidamente.

Caso a recorrência de vendas e gastos da sua empresa não seja diária, adote uma periodicidade de acompanhamento que faça sentido para o seu negócio. Pode ser semanal, quinzenal ou até mensal. Mais do que isso eu não recomendo, pois te afastaria de uma boa análise.

Finalizaremos este tema no próximo artigo.

 

Marco Antonio Granado, empresário contábil, contador, palestrante e escritor de artigos empresariais. Atua como consultor empresarial nas áreas contábil, tributária, trabalhista e de gestão empresarial. Atua como docente na UNISESCON e no SINDCONT-SP. Atua como consultor contábil, tributário, trabalhista e previdenciário do SINFAC-SP e da ABRAFESC. É membro da 5ª Seção Regional do IBRACON. É bacharel em contabilidade e direito, com pós-graduação em direito tributário e processo tributário, mestre em contabilidade, controladoria e finanças.

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart