Operações das factorings já superam em 12% o período pré-pandemia

Levantamento do Gabinete de Crise do SINFAC-SP compara o mês de maio de 2021 em relação ao mesmo período de 2019, antes da crise

 

Em maio deste ano, as empresas de factorings e securitizadoras tiveram desempenho próximo ao patamar prévio à pandemia. O índice de operações ficou 12,12% acima do mesmo período de 2019. Quando comparamos a atividade de maio deste ano em relação ao mesmo período de 2020, as empresas fecharam mais que o dobro de negócios (128,31%), os dados são do Termômetro da Crise do SINFAC-SP, elaborado pelo Gabinete de Crise que reúne profissionais e empresas do setor, incluindo a ABRAFESC. O fomento comercial atende, principalmente, micro, pequenas e médias empresas – assim, o índice de operações aponta também para o quanto esse segmento está sendo atendido em sua necessidade de recursos. Esta é a primeira vez que a entidade fez o comparativo entre os índices de 2019, pré-pandemia, em relação a 2020 e 2021, quando o setor passou a sentir os efeitos da crise mundial decorrente do novo Coronavírus.

“Este ano estamos realmente vivenciando uma gradual retomada no setor de fomento comercial, o que indica que as micro e pequenas empresas estão buscando financiamento para continuarem suas atividades. E o fomento, mais uma vez, está injetando recursos na economia. O índice de operações por entradas de caixa, que indica o quanto o setor reinvestiu no próprio negócio, ficou em 106% neste mês de maio, demonstrando o otimismo do empresariado que atua no fomento”, avalia Hamilton de Brito Jr., presidente do SINFAC-SP e da ABRAFESC.

O mercado também está operando com alto índice de liquidez que fechou o mês de maio em 93,92%, próximo dos 95,51% registrado em maio de 2019. Abaixo, todos os indicadores apurados.

 

 

Termômetro da Crise – SINFAC-SP

No início da pandemia de Covid-19, em 2020, o SINFAC-SP criou o Gabinete da Crise para apurar seus efeitos no setor de fomento mercantil, mais especificamente entre as empresas de factoring, securitização e ESC (Empresa Simples de Crédito). Até então, não havia indicadores para esse setor da economia que atende, principalmente, micro e pequenas empresas. Este é o primeiro mês que o SINFAC-SP faz o levantamento, denominado “Termômetro da Crise”, considerando o ano de 2019 como referência prévia à pandemia.

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart